top of page
  • Foto do escritorPsicóloga | Laiany Maiara

Carta aberta - Acolhimento a pessoa negra





Inicialmente, experimentei os afetos do receio. 

No momento em que nos conhecemos, eu refletia sobre como poderia criar um espaço genuinamente acolhedor e seguro, onde você pudesse se sentir compreendido(a) e representado(a) em nossas interações.


Preparar um setting terapêutico são habilidades, embora fundamentais no processo psicológico, também são desafiadoras de serem realizadas quando nossa identidade foi moldada em resposta ao racismo que quase sempre marcou seu processo de socialização.


Ganhar sua confiança foi uma tarefa árdua. Com o tempo, percebi que você também enfrentava vivências difíceis, assim como eu. Pude perceber em seu olhar quando as palavras falhavam, quando um riso escondia a dor que você suportou, ou quando as lágrimas revelavam suas feridas.


Foi gratificante testemunhar você superar essa resistência inicial e deixar de lado as racionalizações.


Reconheço que, para sobreviver em nossa sociedade, você precisou se apegar à organização e ao padrão de excelência em tudo o que faz, tornando ainda mais significativo o ato de se permitir ser autêntico(a) em nossas sessões.


Desde o início, sabia que você necessitava de alguém que valorizasse essas características e visse o esforço que você faz para criar suas próprias oportunidades em um mundo que constantemente fecha portas diante de você. Quanto a questão de ser visto, quero que saiba que eu o vejo.


Foi doloroso testemunhar as vezes em que você foi ignorado por amigos, familiares ou parceiros. Tornou-se evidente que a sua dor decorreu, em grande parte, da falta de reconhecimento.


Outros podem ter te visto como alguém bravo, rude, frio, mas eu compreendi que, na verdade, você é uma pessoa sensível e amável, reagindo a traumas passados.


Você é atento aos detalhes e encontra maneiras criativas de expressar afeto.


Ao longo do tempo, meu objetivo foi mostrar que é possível confiar nas pessoas e construir vínculos emocionais saudáveis.


Saiba que você merece todas as formas tradicionais ou inovadoras de afeto, mesmo que pareçam incomuns ou que outros não reconheçam sua dignidade. Está tudo bem desejar um buquê de flores, cartas de amor ou trocas de presentes com alguém querido. Você merece abraços, beijos, reconhecimento público, prêmios, relacionamentos assumidos, mãos dadas e, se desejar, declarações de amor ao mundo inteiro. Por que não?


Juntos, superamos muitos desafios que surgiram em sua vida durante nossas sessões, como a conclusão da faculdade, o término de relacionamentos e questões familiares ou profissionais.


Mesmo diante das adversidades, você tem demonstrado capacidade e consciência ao lidar com suas emoções, com graça, talento e, sempre que possível, afeto.


Sou grata por compartilhar tantos momentos bons ao seu lado.


Sua psicóloga negra.


Comments


bottom of page